quarta-feira, setembro 14, 2005

Previsão...


Recebi pelo correio o catálogo da La Redoute colecção Outono Inverno 2005/2006, à um mês atrás, mais coisa menos coisa, (devo dizer que ainda nem o tirei do plástico, porque teimo em prolongar o mais possivel o verão no meu espírito...) voltando ao assunto em questão, recebi o catálogo com as suas 7384 págs (cálculo aproximado) e complementos, e desde então lá me vão chegando mailings de descontos, prendas, surpresas, ofertas únicas, uma panóplia de incentivos á compra ou pelo menos ao simples acto de folhear o dito...
Ainda hoje meus caros e dignissimos leitores recebi uma carta onde anunciavam 50% de desconto! Sim, eu escrevi 50% de desconto!!! Ora muito bem, estamos em Setembro os descontos já estão nos 50% por isso, pelas minhas contas, por volta de Dezembro oferecem-me as peças e ainda me pagam os portes.
Vou aguardar...
entretanto... até à próxima!

entrelinhas:
se abrires a carta, verificas que os 50% só dizem respeito a um dvd, que és livre de comprar ou não.
na verdade, tens descontos entre 20% a 40% nessa promoção.

devias ver o catálogo, tem algumas coisas giras (para quem assina revistas femininas por motivos fúteis, estás muito selectiva com a correspondência assim de repente...).
 
{ ...

"quisera que (eu) fosse um corpo, e não um aeroplano aterrado; por ou com defeito «sim, podia ter sido bem pior, como ter rosto múltiplo...»; por conseguinte gerado sem agremiação; forjado quadrado que fosse cadáver ou busto – quase plano com asas e suporte – revelava-se completo o desejo. e desejo, que fosse, talvez: nascido em despovoado mas voado espírito prisioneiro se fosse querido – a fachada clara, rasgada por poeira flutuante no ar com alento vital; «ter nascido num aeródromo plano e raso (e talvez me iluda mais agora - desmedido e sempre excessivo, mais que destemido, à escuta, preciso (rigoroso) – me engane mais agora nesta (errada e lacónica) interpretação de um sonho, com asas, (motor e trem)) e não ter que criar raízes ou delas depender.» demasiado de perto, quase só em primeiro plano, - olho pela janela do meu apartamento (hangar, se de «um» metal me tratasse, e não corpo fosse liga), ergo a vista tentando ver ou na tentativa de ver o mundo liso, «mais que fácil, mais claro, e de superfície plana», (de olhar oculto, sem arriscar os olhos, vejo o) mundo a que ainda pertenço (nascido; e acordando), desorganizado neste corpo dirigente vou desmantelando o sonho - o aeroplano aterrado (primeiro aquilo que permite o contacto com o solo, depois o impulso) - «e quisera (eu ser; ter) asas em vez de lágrimas ou braços»..."

© ricardo biquinha, in “um quase nada”

... }
 
dora de facto assinava a Lux woman pelos brindes... verdade! e que rica colecção de tralhas com que fiquei em casa, mas tambem valeu a pena porque certas e determinadas amigas, que supostamente nao gostam dessas revistas qd lá iam a casa passavam-nas a pente fino!!! :b
 
bem!... devo confessar que desconhecia que o catálogo da "redut" provocava tal explosão de sensibilidades... vou apontálo pra pôre na minha "dionísica" parteleira!!!!
 
pois é, há pessoas que se fazem muito finas, vão a concertos de rock vanguadista e depois lêem a Lux Woman.

e ainda por cima não têm um blog!

(a ver se ela diz qq coisa, anda muito caladita)
 
é o que eu faço!
esperar que eles dão tudo!
:D
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?